sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Sociedades

A humanidade sempre tende a se separar em grupos, isso porque a humanidade nunca se viu como um grupo...
Grupos
Um grupo, ao contrário do que convém pensar, não é formado pelas semelhanças de seus integrantes, mas sim pelas diferenças entre as pessoas que pertencem e as pessoas que não pertencem ao grupo.
Ou seja:
Mesmo duas pessoas tendo pontos de vista antagônicos, elas tendem a se aliar quando há um inimigo em comum.
Normalmente se aliam contra o inimigo cuja destruição seria mais vantajosa.
Função:
A principal função de um grupo, dentre várias outras, é assegurar a sobrevivência dos indivíduos que a ele pertencem, e, conseqüentemente, a própria sobrevivência.
Observação:
Muitas vezes um grupo não sustenta mais suas funções originais, normalmente daí vêm tensões internas, podendo partir de pessoas tencionando o grupo ou de pessoas tencionando a ideologia do grupo. O resultado é a fragmentação do grupo ou a revisão das funções do mesmo ou a fusão de grupos ou os três.
O ser humano é basicamente um animal de vida social, portanto, vamos definir o que é uma sociedade...
Sociedade
Sociedade é um conjunto de grupos interagindo, de forma constante e interdependente, porem com ligações ideológicas  culturais, econômicas, entre outras.
Ou seja:
Sociedade é um grande grupo formado de outros grupos ou de outras sociedades, ou de grupos e sociedades.
Assim como os grupos, uma sociedade visa sua própria sobrevivência.
Importante:
Uma sociedade é bem mais hostil que um grupo quando se trata de sobreviver. Enquanto um grupo pode ser facilmente dissolvido em função de disfunções do mesmo, uma sociedade tem quase que, ou talvez tenha de fato, autoconsciência, e é capaz de passar por cima de indivíduos, grupos e outras sociedades para sobreviver.
Exemplo:
Vide as sociedades israelense e árabe.
Observação:
Um conjunto de sociedades é chamado de sociedade.
Por uma questão evolucionária, ou por uma idéia divina de merda, nós temos sexo.
Observação:
Não há nada de errado em ter um sexo, muito pelo contrário, o grande problema está no fato de que as sociedades se sentem ameaçadas por ter, primeiramente, previsto e provocado uma desigualdade entre eles que, aparentemente, não possui fundo racional, e que ao passar do tempo veio provocando o colapso ideológico entre a humanidade as sociedades mais poderosas e conservadoras existentes.
Gênero
“Gênero refere-se às diferenças entre homens e mulheres. Ainda que gênero seja usado como sinônimo de sexo, nas ciências sociais refere-se às diferenças sociais, conhecidas nas ciências biológicas como papel de gênero. Historicamente, o feminismo posicionou os papéis de gênero como construídos socialmente, independente de qualquer base biológica. Pessoas cuja identidade de gênero difere do gênero designado de acordo com o sexo são normalmente identificadas como transexuais ou transgêneros.
O biólogo britânico Richard Dawkins critica o uso da palavra gênero como um sinônimo eufemístico de sexo, pelo fato de que essa palavra foi tomada como empréstimo do conceito de gênero gramatical, que só reflete a divisão entre masculino e feminino em algumas línguas (principalmente as indo-européia), enquanto outras possuem outros tipos de divisão de gêneros totalmente desvinculada do sexo, como, por exemplo, gênero animado e gênero inanimado.”
Há uma tendência irracional de todas as sociedades separarem seus integrantes por gênero.
A grande prepotência
As sociedades, visando à sobrevivência, interagem e modificam os grupos ou sociedades que as compõem, impondo regras e padrões que, ao ver da sociedade, seriam mais que lógicos.
Um dos clássicos padrões é a separação dos gêneros, ou seja, separação entre homens e mulheres.
Essa separação fica evidente na criação de banheiros para homens e banheiros para mulheres, separadamente.
O banheiro para homens, masculino, por exemplo, é de uso exclusivo de todos aqueles que possuem um órgão genital masculino, ou seja, um homem travestido ou não, independentemente da sexualidade, crença, etnia ou visão política, deveria entrar no banheiro masculino com todo direito e sem nenhum drama ou tensão, pois o banheiro masculino foi conceitualmente criado justamente para ele.
A problemática
Em uma visão racional de um bom motivo para os banheiros serem separados por gênero é a de que algumas pessoas que vão defecar não querem ser olhadas libidinosamente por outro indivíduo no banheiro.
Esse problema de constrangimento sexual a separação de banheiros por gênero não resolve, pois, obviamente, um homossexual que entra num banheiro masculino pode muito bem olhar para um hetero, bi ou outro homossexual, provocando ou não o constrangimento de qualquer um dos três tipos citados, assim como um heterossexual pode olhar um homo, bi ou outro heterossexual provocando ou não o mesmo constrangimento mencionado.
Outro problema totalmente racional seria o constrangimento por causa dos barulhos provocados ao defecar. Problema esse que nenhum banheiro sem tratamento de acústica resolve, ou seja, que nenhum banheiro publico resolve.
Um problema não lógico que o banheiro por gênero diz resolver, mas não resolve é o da castidade. E o porquê é muito simples: Se você esconde algo de uma criança ela vai procurar descobrir, se você proíbe algo a um adolescente ele vai procurar fazer, e se você impõe uma regra irracional de “bom senso” a um adulto ele vai procurar ferir. Esses simples “padrões comportamentais" um tanto quando freudianos são acentuados em contexto sexual.
Vide:
Adão e Eva ou Zeus, caixa maligna e Pandora, ou simplesmente, adolescentes e sexo.
A solução
Por que esconder o corpo humano do ser humano se você sabe que o único meio de impedir o conhecimento de um sobre o outro e matando um dos dois. Simplesmente não esconda. O banheiro, simplesmente banheiro, ou seja, não separado por gênero, sexualidade, etnia, crença, ou visão política, traria inúmeras vantagens cujas algumas estão listadas a seguir:
Alguns homens, ao saberem que mulheres usam o mesmo banheiro, tentariam mirar seus fluidos em um lugar adequado, seja no interior do vaso sanitário ou no interior do mictório.
Algumas pessoas que não sabem quais as diferenças entre os gêneros poderiam enfim saciar a curiosidade, desenvolver libido e sexualidade.
Algumas pessoas não necessariamente precisariam esperar seus parceiros do lado de fora do banheiro quando os mesmos estão a se maquiar, limpar, entre outros.
Adolescentes finalmente poderiam, em função de milhões de hormônios e da alegria de mais de um indivíduo, fazer sexo no banheiro declaradamente, ao invés de procurar um “cantinho” inadequado, ou mentir sobre onde estavam.
Conclusão
Alguns valores e conceitos sociais não são mais do que uma pedra, não só no caminho do desenvolvimento, como também no caminho da racionalidade, e, muito convenientemente, deveriam ser derrubados por teorias libertárias adolescentes postadas em blogs. Fica a dica.

Um comentário: